O curso de Letras da UFMT, Campus Universitário do Araguaia, desenvolve pesquisas científicas relacionadas aos estudos linguísticos, literários e socioculturais. Todos os projetos fazem uma inter-relação entre essas e outras áreas do conhecimento porque lidamos com a linguagem que é um processo de interAÇÃO social, amplo e complexo por natureza.

O objetivo de nossas pesquisas é compreender as especificidades que constituem esse processo tão complexo que é a linguagem, considerando as constantes mudanças da vida em sociedade. Dentre os projetos, há um destaque especial para a relação ensino-aprendizagem porque nosso objetivo principal é a formação de professores de Língua Portuguesa e Literatura.

Os grupos de pesquisa ativos são:

 

 

 

 

Diretório do Grupo

(clique aqui) 

 ABORDAGEM HISTÓRICO-CULTURAL EM VYGOTSKY E AS CONTRIBUIÇÕES PARA A EDUCAÇÃO

 

 





Coordenadores:

Prof. Dr. Hidelberto de Sousa Ribeiro

Prof. Dr.ª Marilene Marzari


Pesquisadores:

Gilves Furtado de Queiroz

Hidelberto de Sousa Ribeiro

Ismael Donizete Cardoso de Moraes

Luciene de Morais Rosa

Luis Antonio Bitante Fernandes

Maria Eugenia Batista da Silva Neta

Marilene Marzari

Marinalva Almeida Damacena Duarte de Sousa

Raimundo Nonato Silva de Oliveira

Valéria Márcia Queiroz


 

Inicialmente o primeiro objetivo do grupo é buscar compreender os principais conceitos da abordagem histórico-cultural de Vygotsky, da teoria da atividade de Leontiev, mais especificamente, da teoria do ensino desenvolvimental de Davidov. Este tem se preocupado em elaborar uma organização didática capaz de desenvolver o pensamento teórico dos estudantes. O segundo objetivo é planejar a organização do ensino de conceitos/conteúdos, das diferentes disciplinas envolvidas, a partir da metodologia proposta por Davídov, procurando colocá-las em prática nos cursos de formação inicial, no Instituto de Ciências Humanas e Sociais -ICHS/CUA/UFMT, e na formação continuada desencadeada Centro de Formação e Atualização de Professores da Educação Básica? CEFAPRO/ Barra do Garças-MT, a fim de avaliar se os estudantes se apropriam e recriam os conceitos/conteúdos científicos. De posse dessas teorias o grupo tem a intenção de: 1) Estabelecer intercâmbio com pesquisadores de outras instituições científicas a fim de desenvolver pesquisas em cooperação científica, especialmente aqueles relacionados à teoria histórico-cultural e ao ensino desenvolvimental para a educação; 2) Produzir um acervo acadêmico a respeito das contribuições da teoria histórico-cultural e 3) Criar cursos e prestar assessoria junto à sociedade civil e aos órgãos governamentais no trato das questões educacionais.

 

 


 

 

 

Diretório do Grupo

(clique aqui) 

ARTE, DISCURSO E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO ICLMA/UFMT (ADP)

 

 



 

Coordenadoras:

Prof.ª Me. Águeda Aparecida da Cruz Borges

Prof.ª Me. Maria Claudino da Silva Brito


Pesquisadores:

Águeda Aparecida da Cruz Borges

Elizete Beatriz Azambuja

Eloisa de Oliveira Lima

Lucimar Luisa Ferreira

Marcelo Marques Araújo

Maria Celeste Saad Guirra

Maria Claudino da Silva Brito

Marly Augusta Lopes de Magalhães

Estudantes:

Lucas Baracho Sousa


 

O presente Projeto, criado em 2003, constitui-se por subprojetos de diversas áreas do Curso de Letras,a fim de estabelecer índices da realidade do Curso,do trabalho em sala de aula, das concepções sobre professor e aluno,do estágio supervisionado, da função da pesquisa no ensino superior, atividades extensionistas de leitura realizadas pelo Programa Biblioteca Oficina de Literatura, estudos de culturas em convívio, índio e não-índio, que deverão servir, numa segunda etapa,2006-2008, para a avaliação da nova matriz curricular, entre outras questões. Nesse sentido, houve uma participação expressiva dos envolvidos, em reuniões internas, eventos, congressos, seminários, mostras culturais, publicações em anais e periódicos, visando uma troca efetiva de ideias para o amadurecimento das propostas. Das discussões feitas, perceberam-se falhas como o conhecimento teórico desvinculado da prática social e do ensino, inadequação das disciplinas e carga horária; excesso de atividades burocráticas que impedem reuniões mais frequentes voltadas para o plano didático-pedagógico, superação da fragmentação do conhecimento, contatos mais amplos com professores da rede pública. Por outro lado, percebeu-se que projetos de extensão e pesquisa de caráter contínuo, contribuíram para criar lideranças, facilitar práticas de convívio, dinamizar conteúdos. Destaco o trabalho com os bolsistas de Iniciação Científica, nos encontros promovidos pela PROPEq/UFMT em todo o período. No decorrer desses anos, alguns projetos foram encerrados e outros iniciados, com aquisição de novos pesquisadores (professores e bolsistas)e, inclusive, em 2008, a criação de um novo grupo de pesquisa que trata especificamente da relação língua, gramática e ensino. Em 2009, o Grupo abre espaço para mais uma linha de pesquisa em Literatura que dialoga com a Espanha. Em 2010, ingressam mais três pesquisadores e aguardamos os resultados da seleção de bolsistas para cadastrá-los.

 

 

 

 

 

 

Diretório do Grupo

(clique aqui) 

FRONTEIRAS, CULTURAS, IDENTIDADES: espaço de dialogo com povos indígenas do Araguaia/Xingu

 

 



 

Coordenadores:

Prof.ª Dr.ª Marly Augusta Lopes de Magalhães

Prof. Dr. Luis Antonio Bitante Fernandes


Pesquisadores:

Flávia Cunha Lima

Luciana Akeme Sawasaki Manzano Deluci

Luciene de Morais Rosa

Luis Antonio Bitante Fernandes

Magno Silvestri

Marly Augusta Lopes de Magalhães

Rita Natalia Batista da Silva

Rosimeyre Gomes da Silva Merib

Zenilda Lopes Ribeiro

Estudantes:

Welber Francisco Correia


 

A discussão sobre a criação de um grupo de pesquisas relacionado aos povos indígenas da região Araguaia/Xingu, acontece há algum tempo, visto que muito já se tem pesquisado sobre os povos desta região, no entanto, a cada momento se constitui uma nova realidade social, e a forte presença de povos indígenas nos espaços urbanos, virtuais, internacionais, políticos entre outros, fez com que alguns pesquisadores refletissem acerca das relações geradas a partir deste movimento, entre cidade e espaços tradicionais . Com esta égide se constitui o Grupo de pesquisa: Fronteiras, Culturas, Identidades: espaço de diálogo com os povos indígenas na região do Araguaia\Xingu, uma iniciativa dos professores do Campus Universitário do Araguaia – UFMT, e professoras formadoras do Centro de Formação e Atualização dos profissionais da Educação Básica (CEFAPRO). Este grupo de pesquisa se propõe a ser um espaço de diálogo entre pesquisadores que pretendam focalizar suas investigações\ações relacionadas às várias etnias indígenas situadas na região do Araguaia/Xingu. E no intuito de se constituir espaço de dialogo entre a comunidade acadêmica e a sociedade faz necessário investigar como são as relações entre essas etnias e os diversos grupos sociais. Como se dinamizam as culturas na relação com as outras e a partir disto elaboram e (re) elaboram sua identidade.

 

 


 

 

 

Diretório do Grupo

(clique aqui) 

LÍNGUA E GRAMÁTICA: desafios e possibilidades de ensino

 

 




Coordenadoras:

Prof.ª Me. Eloísa de Oliveira Lima

Prof.ª Me. Águeda Aparecida da Cruz Borges


Pesquisadoras:

Prof.ª Me. Águeda Aparecida da Cruz Borges

Prof.ª Me. Eloisa de Oliveira Lima

Prof.ª Me. Maria Celeste Saad Guirra 

Estudantes:

Dayanne da Silva Rocha

Luana Nobre Aquino de Lavor

Mylena Francyelle Medrado Lima

 

 

O grupo decidiu aprofundar o estudo da Gramática Normativa, os desafios e possibilidades de ensino, por considerar que, embora haja uma diversidade de pesquisas na área, ainda se apresenta, principalmente entre os professores de ensino fundamental e médio, muita confusão entre o que seja língua e gramática. Vimos discutindo com professores da rede pública da cidade de Barra do Garças e Pontal do Araguaia – MT e Aragarças – GO, e a pesquisa tem surtido efeito com o trabalho desenvolvido pelos acadêmicos pesquisadores, professores e bolsistas de Iniciação Científica, com os subprojetos: 1 – “Ensino de gramática: cruzando materiais para uma análise discursiva”; 2 – “Gramática e variação linguística: encontro ou desencontro em sala de aula”; 3 – “Livro didático e gramática”; 4 – “Ensino de gramática – um desafio ao professor”; 5 – “A gramática na perspectiva do aluno”. Desenvolvemos, paralelamente, três projetos de extensão: “Estágio Supervisionado e educação permanente de professores”, em andamento, “Produção do texto acadêmico – estrutura e normas”,”A nova ortografia” (a partir do Acordo Ortográfico-2009), que reuniram, inclusive, alunos e professores de outras áreas do conhecimento. O grupo tem se mostrado ativo nos espaços de interlocução acadêmica: na V Semana de Letras do IUniARAGUAIA, em 2007, com o minicurso “Mas o que é mesmo gramática?” e a oficina “A função do adjetivo – esse intrigante termo”. O Projeto já foi apresentado, por ocasião da Semana de calouros, no início do ano letivo, nos dias 27 e 28 de junho de 2008; na II MOSTRA DE CURSOS E III MOSTRA DE PESQUISA E EXTENSÃO do IUniAraguaia/UFMT. O grupo ofereceu uma Oficina no GELCO e Seminário de Linguagens, em Cuiabá/UFMT, em novembro do ano 2008 e outra, na VI Semana de Letras no IUniAraguaia, em outubro do mesmo ano. As bolsistas já encaminharam À PROPeq o Relatório Final apresentado, em Banner, no Seminário de Iniciação Científica.

 

 

 

 

 

 

Diretório do Grupo

(clique aqui) 

O SENTIDO DA DEMOCRACIA: educação, escola, ativismo social e autonomia

 

 




Coordenador:

Prof. Dr. Odorico Ferreira Cardoso Neto


Pesquisadores:

Prof. Dr. Odorico Ferreira Cardoso Neto

Prof.ª Me. Anna Maria Penalva Mancini

Prof.ª Me. Maria Claudino da Silva Brito

Estudantes:

Karla Amorim Sancho

Lorrana Martins Bertoluci


 

O projeto de pesquisa, que discute o sentido da democracia e o ativismo social na Universidade Federal de Mato Grosso a partir do Centro Universitário do Araguaia, é uma busca pela autonomia do ser coletivo nascido em uma mundo em que reina a individualidade. Posto isto, é necessário compreender o fenômeno social ligado ao processo de liderança que as pessoas exercem sobre outras e como tais lideranças impactam no processo de formação do ser humano ético, solidário e humanizado em uma sociedade desumana, individualista e destituída de senso de justiça.

 

 

 

Acesse o link, abaixo, e consulte por pesquisadores no Diretório de Grupos no Lattes: